Dados do governo revelam que Taguatinga é a primeira RA com o maior número de moradores de rua do DF

22 08 2021 flagrantemendigoAdministraçãoTaguatinga22/8/2021

De acordo com dados da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), com a pandemia da Covid-19, o cenário social do Distrito Federal sofreu grande impacto. Segundo a pasta, este ano, até o momento, há 2.303 pessoas em situação de rua no Distrito Federal. O número é 17,5% maior do que o registrado em 2020 (2.181). A Sedes não informou o número exato de moradores de rua por cada Região Administrativa, mas revelou que Taguatinga é a primeira RA no ranking dos locais com maior incidência, seguido por Ceilândia, Planaltina e Plano Piloto. De acordo com a Sedes, devido à ameaça sanitária, as equipes de atendimento observaram que muitas famílias passaram a viver nas ruas. A fim de prestar apoio às pessoas em situação de rua e àquelas em vulnerabilidade social, a Sedes oferece programas e serviços. Segundo a pasta, 28 equipes circulam diariamente, das 8h às 22h, para realizar o atendimento de quem está nas ruas. Os profissionais orientam sobre iniciativas, ações, serviços e benefícios sociais a que essas pessoas têm direito e ofertam vagas nas unidades de acolhimento. Atualmente, o DF conta com 16 casas de passagem para adultos e famílias, com 903 vagas; seis abrigos institucionais para idosos, com 286 vagas; e 40 locais para acolhimento de crianças e adolescentes, com 425 vagas. Para ter acesso a esses serviços, é preciso procurar ou entrar em contato com o Centro Pop ou com os agentes que circulam e abordam os cidadãos, que eles providenciarão o atendimento e o pedido da vaga no serviço de acolhimento via Central de Acolhimento. O Centro Pop de Taguatinga, localizado na QNF 24 A/E nº 2 Módulo A, atende cerca de 100 pessoas por dia.
Texto e Foto: Francisco Welson Ximenes